DEFINIÇÃO

Também chamada de Previdência Complementar, ela estabelece a formação de uma reserva a ser usada tanto para complementar a renda recebida pelo INSS, quanto para realizar um projeto de vida, como o pagamento da faculdade dos filhos ou investir em um negócio próprio. Os fundos de previdência privada possuem estrutura similar aos fundos de investimento, porém com algumas características especiais por serem previdenciários. Portanto, assim como com os fundos de investimento, na previdência privada o investidor deve escolher um tipo de fundo que esteja alinhado com o seu perfil de investidor.

FASES DE UM PLANO DE PREVIDÊNCIA

Fase de Acumulação Essa é a fase em que o indivíduo aporta recursos a fim de constituir seu patrimônio. Quanto maior for o patrimônio acumulado ao longo do tempo, maior será o benefício futuro. Portanto manter a disciplina de acumulação é extremamente importante para que o objetivo seja alcançado. Fase de Usufruto É a fase em que o patrimônio já foi acumulado e o investidor começará a usufruir do benefício. Existem várias maneiras diferentes para isso. O que caracteriza a fase do usufruto é justamente o término dos aportes e o início do uso dos recursos provenientes do patrimônio acumulado.

TIPOS DE PLANO DE PREVIDÊNCIA

A principal distinção entre eles está na forma de tributação. PGBL Programa Gerador de Benefício Livre, é uma modalidade de previdência que permite que você adie o pagamento do imposto de renda para o momento do resgate. É recomendada para quem faz a declaração completa do IR e contribui para a previdência oficial. Com ela você pode deduzir até 12% da sua renda anual tributável, pagando menos IR no ano em que investir. VGBL Vida Gerador de Benefício Livre.  A vantagem desta modalidade é que, embora não haja o benefício fiscal na hora que se está investindo, na hora do resgate o imposto incide somente sobre a rentabilidade acumulada. Assim é indicada para quem quer aplicar além dos 12% da sua renda bruta tributável já investido em PGBL, quem não contribui para previdência oficial, para quem é isento ou faz a declaração simplificada de imposto de renda.  

TRIBUTAÇÃO DOS PLANOS DE PREVIDÊNCIA

É possível escolher entre a tabela de tributação progressiva compensável ou regressiva definitiva para definir as regras e alíquotas do Imposto de Renda que incidirá em sua previdência. Tributação Regressiva  Na tributação regressiva em relação ao tempo, o participante terá vantagem tributária se investir por muito tempo e, por isso, é a escolha mais indicada para quem planeja contribuir para o plano de previdência por mais tempo, cultivando a visão do longo prazo.

Prazo de Acumulação

Alíquota Retida na Fonte (%)

Até 02 anos

35,00%
Acima de 02 anos e até 04 anos

30,00%

Acima de 04 anos e até 06 anos

25,00%

Acima de 06 anos e até 08 anos

20,00%
Acima de 08 anos e até 10 anos

15,00%

Acima de 10 anos

10,00%

Tributação Progressiva  Este é o Regime mais indicado para quem efetua contribuições em plano de previdência com visão de curto prazo. Ou seja, aquele participante que já está próximo de se aposentar, que pode vir a resgatar a reserva por desligamento da patrocinadora e do plano ou aquele que, ao se aposentar, for receber uma renda mensal que fique na faixa de isenção do IR ou próxima a essa, cuja alíquota não ultrapasse os 7,5%.

Base de Cálculo (R$)

Alíquota (%) Valor do IRPF (R$)
Até R$1.903,98

De R$1.903,99 até R$2.826,65

7,50% De R$142,80 até R$212

De R$2.826,66 até R$3.751,55

15,00%

De R$354,80 até R$562,66

De R$3.751,06 até R$4.664,68

22,50%

De R$636,13 até R$1.049,55

Acima de R$4.664,68 27,50%

A partir de R$1.282,79

Dúvidas? 
Entre em contato com nossa equipe e invista melhor.